top of page
Buscar

Relações intraespecíficas

No decorrer do nosso dia a dia, estamos sempre nos relacionando com outros seres-vivos, sejam eles pessoas (seus colegas da escola ou do trabalho) ou não (seus animais de estimação ou plantas, por exemplo). E isso não é exclusivo de nós, seres humanos: os outros organismos também se relacionam, seja com indivíduos da mesma ou de diferentes espécies. Vamos entender melhor como isso acontece?


De forma geral, essas relações podem acontecer por várias razões, como na busca por alimento e água, território, abrigo, luz ou mesmo parceiros para acasalamento. São chamadas de relações ecológicas e são importantíssimas, pois fazem parte do equilíbrio do ecossistema, possibilitando a coexistência de várias espécies em um mesmo habitat.


Um detalhe importante é que nem sempre essas relações são positivas para todos os envolvidos. Essas relações podem ser harmônicas, quando são positivas para todos os organismos envolvidos ou desarmônicas, quando um ou mais dos envolvidos são prejudicados.


Além disso, estas relações são divididas entre intraespecíficas e interespecíficas.

As relações intraespecíficas são aquelas onde a interação ocorre entre organismos da mesma espécie, como você e outra pessoa, por exemplo. Aqui, incluímos as relações de cooperação (benefício mútuo entre os envolvidos) - como os parceiros da mesma equipe de futebol; e competição (quando há prejuízo mútuo) - vamos imaginar uma luta? Por mais que possa haver um ganhador, ambos envolvidos saem feridos.


Já as relações interespecíficas são uma forma de interação entre organismos de espécies diferentes. Aqui existem as relações de predação, competição, mutualismo e comensalismo… Mas esse tópico ficará para o próximo texto!


Relações harmônicas Intraespecíficas - “+/+” Como falamos um pouco mais acima, as relações harmônicas são benéficas e positivas para todos os envolvidos. E podem ser de diferentes tipos. Vamos ver um pouco sobre elas?


Sociedade: É um tipo de relação que ocorre entre indivíduos da mesma espécie. Não há união física e se caracteriza pela divisão de trabalho. As sociedades das abelhas, das formigas e dos cupins são bons exemplos deste tipo de relação!


Formiga trabalhadora carregando uma folha. Autor: Scott Bauer, U.S. Department of Agriculture. Fonte: <a href="https://pixnio.com/fauna-animals/insects-and-bugs/ants-pictures/worker-ant-carrying-leaf">.

Colônia: É uma forma de cooperação, onde os seres de uma mesma espécie vivem agrupados e parecem um único ser. Nessa relação há grande dependência entre os envolvidos, e também ocorre divisão de trabalho. Essa dependência é tanta, que há espécies cujos indivíduos só conseguem sobreviver quando fazem parte de uma colônia.

A caravela-portuguesa é um exemplo de colônia: é formada por diferentes indivíduos da mesma espécie e cada conjunto de indivíduos apresenta funções diferentes nessa colônia: flutuação, alimentação, reprodução e defesa.



A Caravela-portuguesa (Physalia Physalis) é um organismo pluricelular, composto de quatro pólipos distintos e que não sobrevivem separados. Sendo eles: um pneumatóforo transformado numa vesícula flutuadora; os dactilozoóides, que formam os tentáculos; os gastrozoóides que formam os "estômagos"; e os gnozóides, responsáveis pela reprodução. Fonte: imagem com modificações por (bioicos.org.br), cedida gentilmente por Alvaro Migotto ©.


Relações Desarmônicas Intraespecíficas - “+/-” ou “-/-” Aqui se enquadram as relações que trazem prejuízos para pelo menos um dos envolvidos.


Competição: Pode ser exploratória - quando existe por disputa de recursos, como água, luz, alimentos entre outros - ou por interferência, quando há disputa de território ou parceiros para reprodução. Independentemente de como ocorre a competição, sempre haverá um efeito sobre as taxas de sobrevivência, crescimento e reprodução dos indivíduos.


Competição entre dois machos de veado-vermelho (Cervus elaphus). Autor: Heinz Seehagel (28.9.2004), uploaded in de.wikipedia at first 15:57, 4. Nov 2004 {{PD}}. Fonte: wikimediacommons.org


Canibalismo: Para a maioria das espécies é um comportamento raro, embora em algumas espécies isso ocorra normalmente. O canibalismo pode ocorrer em populações que apresentam uma grande quantidade de indivíduos, como o caso do rato almiscarado, (Ondatra zibethicus). A fêmea pode dar à luz várias ninhadas em um ano, e quando a população aumenta a ponto de faltar lugar para a construção de ninhos, os ratos machos matam e se alimentam de fêmeas e filhotes indefesos.

Algumas vezes essa relação também acontece no momento ou após a fecundação, essa modalidade de canibalismo é chamada de canibalismo sexual. Um dos exemplos mais famosos é o Louva-a-deus: é hábito comum as fêmeas devorarem os machos durante ou logo após a cópula.

Louva-a-deus em canibalismo sexual. Autor: Oliver Koemmerling (13.09.2007). Permissão: GNU. Fonte=http://www.capturedphotons.com/gallery2/v/Macros/Mantis/.

Apesar de nem todas relações serem pacíficas e benéficas para todos os envolvidos, é importante termos conhecimento de que nenhum indivíduo é totalmente isento de outras interações. Elas ocorrem o tempo todo e são muito importantes para todas as formas de vida. Afinal, nenhum ser vivo é uma “ilha”!


Texto: Amanda Aparecida Oliveira

Pesquisa: Raphael Martins; Beatriz Prudêncio

Texto Instagram: Vitor Viana dos Santos

Arte: Natália Lavínia A. de Souza

Referências

Governo do Estado do Ceará. Secretaria da Educação - Zoologia. Disponível em: <https://www.ced.seduc.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/82/2020/11/CNT010-Caravelas.pdf>. Acesso em 29 de Agosto de 2022.


Resende T. R. P. S; Rosinke P & Wobeto C. Estudo das Relações Ecológicas em uma Sequência Didática (2021). Disponível em: <http://portal.amelica.org/ameli/jatsRepo/437/4372025025/html/>. Acesso em 16 de Agosto de 2022.


Machado C. & Castro B. B. Relações hospedeiro-parasita (2019). Disponível em: <http://repositorium.uminho.pt/bitstream/1822/73029/1/Machado%20e%20Castro%202019%20-%20RCE_7%20076.pdf>. Acesso em 16 de Agosto de 2022.


Relações entre os Seres Vivos, capítulo 2. Disponível em: <http://www.submit.10envolve.com.br/uploads/ec6f8eb10bafce3e19ac046617e6152f28f0c1d2/b02ba0d281c37536ef2ad0deea467bdb.pdf>. Acesso em 16 de Agosto de 2022.


Laureano M. G. A Importância das Relações Ecológicas na Manutenção da Vida e a Percepção dos alunos sobre o Tema (2017). Disponível em: <http://uab.ufsc.br/biologia/files/2014/05/Maicon-Goulart-Laureano-13401109.pdf>. Acesso em: 17 de Agosto de 2022.






114 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page